(66) 3515-6726
(66) 9686-6082
Home - Artigos - Marketing Digital - Como criar a sua lista de e-mails do zero

1

post-photo

Como criar a sua lista de e-mails do zero

Já que no último post falei de lista de e-mails de clientes, certamente alguns dos leitores se perguntaram: “Tudo bem. Tendo uma lista de clientes fica fácil, mas e para quem está começando um negócio agora e não tem nenhum e-mail sequer?”. Não é tão fácil de responder, e menos ainda de fazer, mas vou ensinar uma das técnicas que ensino no meu curso 8Ps.

Para começar, você tem que entender qual o seu público. O que eles querem? Desejam conteúdo denso, dicas rápidas? Preferem algo que lhes traga economia ou algo que lhe dê conforto? Perseguem status ou preenchimento de carências? Até agora não falei nada de listas. Falei de pessoas. Uma lista de e-mails, nada mais é do que a ligação direta com pessoas. Não pense em como “atrair e-mails”, pense em como atrair gente. Se você tiver sucesso nessa etapa, as pessoas gentilmente deixarão os seus e-mails.


Para quem achou ao começar a ler esse e-mail que ia sugerir comprar listas, trocar listas, capturar e-mails na internet, esqueça. Isso já não dá certo há algum tempo.

A próxima etapa após entender profundamente o que o seu público quer é criar um conteúdo que seja completamente adaptado a esses desejos. O conteúdo define o público. Se seu público for sobre viagens e só criar conteúdo sobre viagens baratas, vai atrair um público preocupado com economia e barganhas. Se criar conteúdo sobre os melhores restaurantes do mundo, atrairá um público interessado em status com dinheiro para gastar. Não há nada errado em atrair um público ou outro – são apenas escolhas diferentes.

O conteúdo define o público! Escolha o público que quer e então, crie um conteúdo para este público. Algo bem específico. Se quiser ser mais eficiente, pergunte a ele o que ele quer. Há diversos softwares de pesquisa de mercado como o SurveyMonkeys que podem fazer o trabalho para você. Fácil de usar e de tabular resultados. E a versão gratuita é bem parruda.

Uma vez descoberto os desejos mais íntimos do público que quer atrair, passe a produzir conteúdo incessantemente. Porém, não é qualquer conteúdo. As pessoas, em geral, não querem toneladas de conteúdo. Elas querem o conteúdo que conseguem digerir. O conteúdo que elas tenham a sensação de início, meio e fim e sintam o alívio de terem terminado a tarefa. Pode acreditar que bem sei disso uma vez que tenho um livro de 900 páginas. O simples ato de pensar em ler um livro desses já cansa. Não é à toa que muito mais gente “conhece” o 8Ps do que “tem” o 8Ps. E dos que o tem, menor ainda a quantidade de pessoas que de fato o leram.

Conteúdo deve ser medido e entregue em porções cada vez maiores só para quem pede mais. Tenha, sim, toneladas de conteúdos, mas em camadas distintas e cada vez mais profundas com porções com início, meio e fim distintas para fornecer o alívio cognitivo necessário para que o leitor fique satisfeito.

Esse conteúdo pode ser filmes, e-books, planilhas de Excel, imagens e tantos outros. Agora basta você disponibilizar tal conteúdo em uma página em que a pessoa tenha que fazer um pequeno cadastro com nome e e-mail para baixar, por exemplo, o e-book ou ver um vídeo. Veja um exemplo claro disso que uso para capturar e-mails de pessoas interessadas em aprender Google Adwords.

Depois que a sua landing page de captura, como é o nome técnico desse tipo de página (também chamada de Squeeze page) estiver configurada, basta divulgar que seu site tem tal conteúdo apontando um link para tal página. Quanto mais pessoas entrarem na página e se interessarem pelo conteúdo, mais e-mails segmentados pelo conteúdo apresentado você terá.

Dica simples e muito eficiente :)